sábado, 19 de julho de 2008

Quando mudamos de nossa terra natal...


Uma vez a Magui escreveu uma cronica dedicada a mim, que é a mais pura realidade do que acontece com quem troca de bairro, cidade, estado ou país.

Para relembrar:
Quando mudamos de nossa terra natal vamos
cheios de esperanças e com um espírito aventureiro próprio de quem acredita na
vida e em si mesmo.


Para mim, mudar de estado ou de país dá no mesmo.O Brasil tem em cada estado da
federação, costumes próprios e diferentes dos outros. Falamos a mesma língua
portuguesa mas as palavras, muitas vezes, não têm o mesmo sentido. É dura a
adaptação.


No começo, alguns amigos telefonam e os parentes mais chegados, também.
Esperamos ansiosos pelas visitas e temos até roupas de cama e quarto para
hóspedes.


Quando chegam, vamos buscar no aeroporto ou na rodoviária sejam a que horas
cheguem. Levamos para passear nos locais mais bonitos. Parece que estamos de
férias na cidade que já conhecemos melhor.


Com o tempo, os telefonemas escasseiam e as visitas não aparecem nem nos
melhores dias de sol das férias. Nossos telefonemas que, antes, eram bem
recebidos com alegria e cheios de assunto, já não rendem. Os interesses se
distanciam.


Passam-se os anos e quando visitamos a casa que foi nossa, os parentes já nos
olham com curiosidade. Talvez notem mudanças em nós e que não notamos. Os
espaços, com o tempo e cada um envelhecendo com novas famílias e postura na
vida ficam, claramente, definidos. Estamos ausentes há muito tempo e vamos
ficando de fora.


Uma coisa é real, com o tempo passando, anos, décadas nós nos tornamos
estranhos na própria família e aqueles amigos deixados para trás somem de tal
forma que nem os reconhecemos se encontrados, por acaso, aqui ou acolá.


Assim, quando uma pessoa se muda para longe dos seus para formar uma nova vida,
faz melhor em estar preparado para o dia quando terá a dor de ser tratado como
uma pessoa que morreu e, com o tempo, esquecido, é o mesmo que ninguém nem
colocar mais nenhuma flor na sua sepultura.


Magui

Preciso escrever mais? Sei que muitos não concordam, e fico feliz por estes, mas esta e' a realidade, voce vai e a vida das pessoas continua. Nao queira voce pensar que pode recomeçar tudo de onde deixou ao partir porque nada ficou como antes.

Nao estou reclamando e sim constatando um fato.

38 comentários:

  1. Primeira? Não acredito!!! :-)

    Ah Meire, já senti o que você sente hoje pois vivi 7 anos fora.
    O mais curioso, querida é que nunca mais somos os mesmos e nem os outros os são também.
    O texto é perfeito pois resume muito bem o que sentimos.
    Eu ainda até hoje me sinto meio no meio do oceano muitas vezes, como 'suspensa' entre culturas.
    Curta ao máximo a tua estadia nas Gerais.
    Oh terra bonita! Conheço algumas cidades históricas mas preciso voltar lá qualquer dia desses para rever tanta beleza.
    Um grande beijo carinhoso,

    ResponderExcluir
  2. Essa cronica da Magui e perfeita. Ninguem me reconhece mais..ninguem tem tempo para mim. So minha familia continua igual.Mas se a gente voltar de vez, acho, com o tempo tudo volta ao normal.

    ResponderExcluir
  3. Eu nao sei a†é que ponto concordo e discordo da Magui... mas no fundo é um pouco assim, nnao só as pessoas de lá se distanciam, mas também você vai se afastando, posi seu nucleo muda de lugar e de foco... seus amigos do dia a dia não estam mais no Brasil...
    Mas tem alguns amigos que sempre ficam, de repente não se troca mais confidencias, mas o carinho quando se vê e se olha é o mesmo.
    Fica bem...
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Gostei da crônica da Magui, ela conseguiu definir com clareza a experiência de vc morar fora e regressar na terra Natal.
    Big Beijos

    ResponderExcluir
  5. Eu tb sei o que é isso, vivo muitos anos longe da familia, já me mudei varias vezes, troquei de Estado, enfim dá mesmo essa sensação de sermos estranhos na nossa familia.

    bjs

    ResponderExcluir
  6. Concordo com o texto, quando voltamos parece até que atrapalhamos as pessoas, pois não fazemos mais parte de suas vidas e rotinas, o assunto fica escasso, é realmente difícil.
    Curte bastante as Minas Gerais, adoro este canto do Brasil.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Dinha bom ter novidades suas aqui.
    Olha, qq coisa da uma ligadinha pra eu saber como vão as coisas por aí:)

    Esse texto é bom mesmo, acho que muita coisa aí é verdade, pq realmente quem muda realmente muda(rs) e quem fica taé se transforma. É a vida!
    Bjokas

    ResponderExcluir
  8. Meire, às vezes me lembro desse texto que escrevi quando vc estava angustiada pela distância dos seus, que não davam retorno aos seus anseios e saudades.
    Este ano morreram um irmão do papai e uma irmã da minha mãe, ambos viveram suas vidas longe de sua famílias originais anos a fio.Em ambos não houve ninguém da família no enterro, ninguém conheceu seus filhos ou netos.De vez em qd um telefonema, dando notícias e uma delas foi a morte.A vida é assim : Longe dos olhos, longe o coração!

    ResponderExcluir
  9. Meire.

    Esse texto é muito bonito e interessante além de verdadeiro.
    Eles se distanciam e nós também nos distanciamos ...
    É a vida ... Mas será que sempre tem que ser assim ?

    A cidades históricas de Minas são muito bonitas ...

    Bjs.
    Elvira

    ResponderExcluir
  10. ai que eu to com tanta saudade de vc!

    ResponderExcluir
  11. A MAGUI foi muito feliz nas palavras,MEIRE. Creio que é exatamente assim que as coisas acontecem.

    Bacio!

    ResponderExcluir
  12. Meire,

    o texto da Magui é perfeito. Assim como é fácil entender que a distância muda muitas coisas, entre elas a intimidade. Eu sei bem como é viver fora e longe de todos, pois saí definitivamente de São Paulo há dezoito anos. E nesse período, mudei de estado duas vezes. Logo, estou sempre me reorganizando, me reacostumando, refazendo agendas e compromissos.

    A segunda parte é a melhor, pois o circuito histórico das Gerais é belíssimo e delicioso em todos os sentidos - especialmente nos sentidos da gula... risos. A culinária mineira é, para mim, a melhor do país.

    Fique bem. Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Muito bonito o texto da Magui.Não posso discordar pq nunca fiquei muito tempo longe do meu canto.Espero que o astral fique nas alturas quando chegar nas Gerais e principalmente quando encontrar com seu amore.Menina,faz um tempão que não como uma nata com farinha d'agua.Feliz passeio!

    ResponderExcluir
  14. Meiroca,
    Aproveitando a data de ontem, 20 de julho desejo atrasado: FELIZ DO AMIGO !!!!

    Big Beijos

    ResponderExcluir
  15. Bonita, me lembro quando a Magui escreveu esse texto.
    Você estava triste, por causa de familiares que ficaram distantes.
    Se não me engano estavam para ir te ver, e não foram.
    É muito verdadeiro.
    Você já não tem papai e mamãe, e esses quando os perdemos, perdemos nossas referências.
    Irmãos, irmãs, como também já formaram suas familias, tornam-se parentes.
    Agora é você e o amore, ele e você, não tem mais ninguém que viva a sua vida com você, só vocês dois.
    É assim, já é assim comigo também.
    Puxa, tomara que dê tudo certo, e vai dar.
    Amo você.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  16. Meire querida volto ao Brasil sexta 25. Entao entro em contato para ver o negocio da sua documentação, ok?
    Até la. Beijo grande.

    P.S. pretendem ir a Tiradentes? Que tal um encontro por la?

    ResponderExcluir
  17. A Magui até que está certa. É estranho pra pessoa que retorna e para aqueles que ficaram. Já passei por isso e garanto que o relacionamento não é o mesmo depois de um tempo longe.
    bjinhos

    ResponderExcluir
  18. Oi Meiroca!

    Continue aproveitando, a saudade já vai ter fim.

    É, eu sei bem o que é viver longe de quem tanto se ama...

    beijo grande,

    ResponderExcluir
  19. É,Meire...li tudinho...
    Olha o poema é mesmo a realidade...doa a quem doer.
    E aproveite muito mesmo por aí...na volta,a gente se fala.
    Deixei p colocar seus postais qdo tiver mais próximo de vc chegar em casa.

    ResponderExcluir
  20. No início, tudo são flores...com o tempo tendemos a perceber os espinhos.

    Parabéns pelo blog!
    Beijos doces,
    Pitanga.

    ResponderExcluir
  21. É isso mesmo... depois de uma mudança de casa, de bairro, de cidade, de estado a coisa se torna diferente. Mudar de pais ... deve ser muito dificil. A vantagem é que vc adquire novos amigos e, querendo ou não, cria uma familia que não é de sangue. Passeie muuuuuuuuuuuito pelo Brasil e curta de montão as cidades históricas. Ande no trem da Vale, por favor! Bjkª. Elza

    ResponderExcluir
  22. Meire, mudanças são sempre tristes. Ainda hoje, quando vejo caminhões de mudanças pela cidade, eu me supreendo com alguma tristeza, pensando nas amizades que ficam, nas amizades de nossos filhos com os filhos de outras famílias. A crônica da Magui é muito importante e autêntica.
    Abraços

    ResponderExcluir
  23. Parabéns por estar entre os 200 blogs mais populares do Brasil,
    Precisamente em 99º.
    Fiquei orgulhosa de vc.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  24. Obrigada Isita, na realidade eu nao sabia, depois me passe o site onde voce viu.
    Um beijo
    Meire

    ResponderExcluir
  25. Querida Meire

    é bem como vc escreveu :
    A gente "vai e a vida das pessoas continua" ...
    é bem por aí mesmo.

    Mudando de assunto AMEIIIIIIIII as fotos do Rio !
    e prá variar, o rio continua LINDOOO!!!!
    nossa, que lindo!
    parabéns pelas fotos!!

    Dona Meire, eu de regime, e lendo essas gostosurassssss de Minas Geraissssssssss ???????

    ahhhhhhhhhh, tô aguada!!!
    MAs ano que vem eu eu mato a minha vontade...rrs..
    né?


    Boas férias prá vc aí, aproveite mesmo!!! pois passam rápido!

    beijao
    e BOMMMMMMMMMMmm final de semana !!!


    angela

    ResponderExcluir
  26. nossa!!! acho que sou a única a discordar do texto da magui! eu já deixei o rio há 12 anos, mas sempre que volto tenho todo mundo em volta novamente, inclusive pra coisas banais, como ir ao salão fazer depilação com a minha amiga de infância, como se nada tivesse mudado.

    ResponderExcluir
  27. Meiroca querida,
    Que bom saber que vc está no Brasil. APROVEITE MUUUUUUUUITO!!!
    Beijos, Betha

    ResponderExcluir
  28. Olá Meiroca,

    Sempre leio seus posts, este último é a mais pura realidade. As nossas vidas tomam rumos completamentes diferenters, as vezes mesmo sem querer nos distanciamos dos nossos parentes e amigos. O bom de tudo isso é que sempre encontramos novos amigos e novas amizades.
    Que vc tenha ótima féria, aproveite bem ou seja curta bastante .
    Bjs

    ResponderExcluir
  29. Depois de um tempo, não para os "de casa" mas para os outros familiares, passamos a ser meros visitantes. Em um ponto é bom, porque ficamos sabendo somente o lado bom dos acontecimentos, por outro lado, nos tornamos conscientes que os elos que antes nos prendiam, soltaram-se para se prenderem a outro lado. Agora, você e seu amore são dois elos de uma só corrente.
    Cuide-se aí, menininha!! E não fique pensando besteiras. :D Beijus

    ResponderExcluir
  30. Meire, esse texto fabuloso mostra a realidade de todo estrangeiro.
    Desejo a vc sucesso nessa sua empreitada, querida.
    Curta bem a terrinha. Nem que seja como turista :)

    ResponderExcluir
  31. oi mamis!!!
    venho te visitar justo no dia em que vc vai receber o tao amado papis!! teu coraçao ja deve estar saltando pela boca de tanta emoçao neh!!! :)

    Que Deus abençoe e os guarde na sequencia da viagem e dos passeios.
    Um beijo enorme,

    Sô Julio, Dri e Mateo :)

    ResponderExcluir
  32. Passei aqui..ainda com saudade de casa?

    ResponderExcluir
  33. Pois é minha amiga, o texto é a pura realidade e sou testemunha disso tudo. Sai de minha casa, no interior de São Paulo e vim para Foz. Naquela época, a usina de Itaipu estava no auge e não tínhamos tempo pra nada. Depois, sai de lá e enfrentei um novo desafio, administrar e mudar os rumos financeiros e administrativos de uma empresa. Resultado, 13 anos sem voltar pra casa, sem ver meus familiares. Acontece que, nesse meio tempo meu pai veio a falecer e hoje, espantado, sinto que não sofri tanto como meus irmãos, justamente pelo que descreve o texto.

    Aproveite bastante e aguardamos seu retorno..

    ResponderExcluir
  34. Amiguinha espero que já esteja com teu amor, dando uma voltinha nas Gerais.

    Que papai do céu os proteja


    BJS

    ResponderExcluir
  35. cadê cadê? tá em SP? vem me ver!

    ResponderExcluir
  36. Meiroca,
    Já escrevi aqui duas vezes perguntando onde andam vocês que não mais apareceram? e não vi aqui os comentários, quem sabe fugiram junto com vocês?...rs. Onde andam? ainda estão no Brasil? ou na Itália? dêem notícias...
    Esperamos que tenham resolvido todas as pendências no Brasil.
    bs,

    ResponderExcluir
  37. Oi Luciana, embora atrasada, venho agradecer a sua visita.
    Bjs
    Meire

    ResponderExcluir
  38. Verdadeiras e sinceras as palavras da Magui...
    Beijosss

    Laura’s last blog post..

    ResponderExcluir